MPPR

04/06/2017 16:00

Comitê Socioambiental do MPPR formará rede de multiplicadores

Seminário A3PEvitar o desperdício de recursos naturais e bens públicos, buscando soluções para reduzir o impacto ambiental decorrente de práticas cotidianas. Com esse objetivo, a Comissão de Gestão Socioambiental do Ministério Público do Paraná pretende criar uma rede de mobilizadores, formada por voluntários de todo o estado. O convite aos integrantes do MPPR foi feito no Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, durante o I Seminário da Agenda Ambiental na Administração Pública, realizado em Curitiba.

O evento marcou uma nova etapa do projeto de sustentabilidade na instituição, que colocará em prática as propostas da Agenda Ambiental na Administração Pública. O programa do Ministério do Meio Ambiente, conhecido por A3P, busca criar uma nova cultura nos órgãos públicos, promovendo princípios de gestão socioambiental em atividades rotineiras. Membros, servidores e estagiários interessados em fazer parte da rede de multiplicadores ambientais podem enviar um e-mail para cgambiental@mppr.mp.br ou preencher o formulário na página da Comissão de Gestão Socioambiental.

“O exemplo que exigimos de instituições e autoridades é a conduta que deve ser normal em nossas práticas internas”, afirmou, na abertura do seminário, o procurador de Justiça Alberto Vellozo Machado, coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente e de Habitação e Urbanismo.

Agenda Ambiental – O evento teve início com a palestra do analista ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Luiz Augusto Vitali, que alertou para o desperdício em instituições públicas. Segundo ele, anualmente, mais de 900 toneladas de papel, o que representa quase 20 mil árvores, poderiam ser poupadas.

“Para evitar gastos desnecessários, as instituições parceiras da A3P contam com um sistema de monitoramento, que fornece indicadores ambientais”, explicou Luiz Augusto. Ele também falou sobre os eixos temáticos que formam a Agenda Ambiental na Administração Pública: uso racional dos recursos naturais e bens públicos, gestão adequada de resíduos, licitações sustentáveis, capacitação dos servidores e qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Na sequência, o superintendente substituto do Ministério da Fazenda no Estado do Paraná, Hélio Rissio, apresentou o projeto de sustentabilidade adotado pelo órgão, destacando o bom senso no estímulo a práticas cotidianas simples que podem produzir bons resultados.

Rede de multiplicadores – Representando a Comissão de Gestão Socioambiental do MPPR, fizeram uso da palavra os promotores de Justiça Alexandre Gaio e Galatéia Fridlund, a procuradora de Justiça Carla Moretto Maccarini, e os servidores Aglaé Leitolesg e Matheus Pimentel.

Após apresentar as ações já realizadas pela instituição, como convênio com cooperativas de catadores, campanhas educativas e licitações sustentáveis, a Comissão expôs as próximas etapas do plano de trabalho.

“A conduta individual já não basta. Diante de tantos retrocessos no atual panorama ambiental e social, temos que partir para a mobilização e agir em prol da proteção das nossas vidas e das futuras gerações”, alertou o promotor de Justiça Alexandre Gaio.

Histórico – Criada em 2011, a Comissão de Gestão Socioambiental do MPPR é responsável pelo desenvolvimento de projetos e iniciativas que visam enfatizar a sustentabilidade na cultura organizacional. Atua no levantamento de indicadores, realização de diagnósticos, capacitação e avaliação de ações socioambientais na instituição.

Seminário A3P

Seminário A3P

Seminário A3P

Seminário A3P

Seminário A3P

Seminário A3P
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.