Improbidade Administrativa

09/10/2019

Promotoria de Justiça de Nova Londrina oferece denúncia por estelionato contra médico e ex-diretor administrativo de Hospital Municipal

O Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça de Nova Londrina, no Noroeste do estado, ofereceu nesta terça-feira, 8 de outubro, denúncia por estelionato contra um médico e um ex-diretor administrativo do Hospital Municipal Santa Rita de Cássia.

Investigação da Promotoria de Justiça da Comarca, conduzida no âmbito da Operação Cicuta, comprovou que o médico, que trabalhava no hospital, cobrava de pacientes para a realização de cirurgias eletivas (procedimentos cirúrgicos que não são de urgência ou emergência), utilizando a estrutura do hospital, que atende pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ao realizar as cobranças, o médico alegava aos pacientes que a prática era autorizada por lei municipal.

Os valores cobrados pelo médico – geralmente, de pacientes de baixa renda – variavam entre R$ 400 e R$ 3,8 mil e ocorriam mesmo em casos em que o hospital era ressarcido pelo SUS para o custeio dos procedimentos.

Além do estelionato (em 18 situações), foi imputado ao médico a prática do crime de falsidade ideológica. Na denúncia, a Promotoria de Justiça requer o afastamento imediato do médico de qualquer função pública (seja em âmbito municipal ou estadual).

Improbidade – Na esfera cível, também em decorrência das investigações, o MPPR ajuizou, também nesta terça-feira, 8 de outubro, ação civil pública por atos de improbidade administrativa contra os dois denunciados e um ex-secretário de saúde de Nova Londrina (que esteve à frente do cargo entre outubro de 2016 e junho de 2019), que consentia com a prática. Na ação, a Promotoria de Justiça sustenta que os requeridos obtiveram enriquecimento ilícito com as cobranças ilegais, sendo solicitada a indisponibilidade de bens dos investigados até o valor de R$ 668 mil, bem como a perda da função pública.

Confira matéria anterior relacionada à operação:

19/06 – Justiça acolhe pedido do MPPR e determina afastamento provisório de quatro servidores que atuam no Hospital Municipal de Nova Londrina

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
(41) 3250-4264

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem