Gaeco

09/02/2018

Ministério Público denuncia dois vereadores, servidores municipais e empresários alvos da operação ZR3 em Londrina

Nesta sexta-feira, 9 de fevereiro, o Ministério Público do Paraná ofereceu denúncia contra 13 pessoas, incluindo dois vereadores, servidores municipais e empresários, por participação em esquema de corrupção para aprovação de loteamentos irregulares em Londrina. A medida foi adotada no âmbito da Operação ZR3, deflagrada em 24 de janeiro pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do MPPR. Os denunciados são acusados pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e organização criminosa.

Como resultado da operação em janeiro, 11 dos denunciados passaram a ser monitorados por meio de tornozeleiras eletrônicas, dentre os quais dois vereadores, um assessor de vereador, um servidor público municipal, três membros do Conselho Municipal da Cidade e quatro empresários. Todos aqueles que desempenhavam funções públicas (sete pessoas) também foram afastados de seus cargos. As investigações da ZR3 terão continuidade, agora com o intuito de apurar novos fatos que surgiram.

Entenda o caso – Segundo as investigações do Gaeco, pelo menos dois vereadores aceitaram propina para apresentar e aprovar projetos de lei de alteração de zoneamento e de autorização para grandes loteamentos em Londrina. Os valores negociados variaram de R$ 100 mil a R$ 1 milhão. O Gaeco também apurou que os vereadores agiam em conluio com integrantes do Conselho Municipal da Cidade, órgão que emite pareceres previamente à votação de projetos de lei. Os fatos teriam ocorrido entre os anos de 2013 e 2017.

 

Informações para a imprensa com:
Assessoria de Comunicação
Ministério Público do Paraná
(41) 3250-4439

Recomendar esta notícia via e-mail: