• Manifeste-se contra a PLS 280/16 - abril/2017
  • Manifeste-se contra a PLS 280/16 - abril/2017
  • Modificado, Projeto de Lei do Abuso de Autoridade é aprovado no Senado e será discutido agora na Câmara Federal

    Abuso de autoridadeO Projeto de Lei do Abuso de Autoridade foi aprovado nesta quarta-feira, 26 de abril, pelo plenário do Senado e será discutido agora na Câmara Federal. A aprovação ocorreu após a retirada do texto de trechos que estabeleciam restrições ao trabalho de promotores e procuradores, juízes e desembargadores. As alterações foram feitas após amplo movimento do Ministério Público e da Magistratura. O procurador-geral do MPPR, Ivonei Sfoggia, esteve em Brasília acompanhando as articulações nacionais e destaca a importância de a mobilização ser mantida já que o texto ainda necessita de aprimoramentos
    Leia mais

  • Abertas inscrições à eleição para ouvidor-geral do MPPR

    EleiçãoSerá realizada no dia 8 de maio a eleição para o cargo de ouvidor-geral do Ministério Público do Paraná. Procuradores de Justiça interessados em concorrer ao pleito poderão se inscrever até as 18 horas do dia 2 de maio, mediante requerimento dirigido ao procurador-geral de Justiça, a ser entregue no Protocolo-Geral da sede da instituição, em Curitiba. Leia mais

  • BALEIA AZUL – Pais devem adotar postura preventiva para evitar que filhos se envolvam em jogos perigosos

    Tentativas de suicídio e casos de automutilação que estariam relacionados ao chamado “jogo da Baleia Azul” têm chamado a atenção das autoridades policiais e de saúde em várias partes do Brasil, incluindo o Paraná. A competição, que teria surgido na Rússia a partir de uma notícia falsa, propõe aos participantes 50 tarefas, sendo a última o suicídio. Preocupado com a situação, o MPPR faz um alerta aos pais para que redobrem os cuidados com os filhos, principalmente adolescentes, adotando uma postura preventiva. Leia mais

  • DIREITOS HUMANOS - MPPR reforça importância do registro de crimes de ódio

    Logo crimes de ódioDuas situações recentes de crimes de ódio movimentaram as redes sociais e chamaram a atenção da mídia em Curitiba e região: o caso de uma doceira que recebeu ameaças em bilhetes racistas e o de um casal homoafetivo surpreendido por panfletos distribuídos na vizinhança com ironias e ofensas relacionadas ao fato de serem gays. O Ministério Público do Paraná, por meio do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção ao Direitos Humanos, acompanha ocorrências como essas e frisa a importância do registro criminal para a apuração e punição dos responsáveis. Leia mais